Rio de Janeiro

Ficha Técnica

Área do terreno
4.500,00 m²
Área construída
900,00 m²
Conclusão
1994

Projeto

Arquitetura
Cláudio Bernardes & Jacobsen Arquitetura
Paisagismo
CAP, Cookie Richers, Fernando Chacel, Sidney Linhares
Fotos
Leonardo Finotti
1992_residencia_bm_2
1992_residencia_bm_3

O fundamental neste projeto é que, lançado a construção numa bandeja sobre o precipício, liberou-se um grande espaço para a entrada da casa, onde se ancora o pátio-jardim de chegada – uma angulosa estrutura de pedra que se expande para um deque de madeira, do qual emergem as árvores do terreno original coberto e sob o qual se oculta o acesso dos automóveis.

1992_residencia_bm_4
1992_residencia_bm_5
1992_residencia_bm_15
1992_residencia_bm_17

A superfície da bandeja é o único nível de que se tem noção desde a entrada, com que se pretendeu reduzir o impacto de um programa na verdade muito volumoso. Este pavimento reúne todo o espaço social da casa, com destaque para a generosa varanda, coberta pela extensa aba metálica vidrada que se projeta da laje, por sua vez, toda gramada – efeito que, visto de cima, faz a construção quase desaparecer.

1992_residencia_bm_6
1992_residencia_bm_7
1992_residencia_bm_18
1992_residencia_bm_9

Todos os quartos, bem como a área de serviço, organizam-se sob a bandeja e foram projetados para “sumir”. Chega-se a este plano inferior pela espetacular escada central – iluminada pela clarabóia que serve de chão para a piscina, imediatamente acima.

1992_residencia_bm_13
1992_residencia_bm_10
1992_residencia_bm_16
1992_residencia_bm_14
1992_residencia_bm_11
1992_residencia_bm_12

A casa, estruturada em concreto, volta-se para o mar, de que tem notável visão, e procura pela máxima captação de luz natural, já que, integrada a uma montanha densamente florestada, é muito úmida e sombreada.

1992_residencia_bm_implantacao
1992_residencia_bm_pavto_terreo
1992_residencia_bm_pavto_superior